Olá celíacos,

Aqui trago uma curta explicação de como o glúten é digerido e induz a ativação do sistema imune.

Representação de eventos-chave na ativação de células T CD4 + residentes de tecido que reconhecem péptidos de glúten desamidados no contexto das moléculas HLA associadas à doença celíaca DQ2 (DQ2.5 e DQ2.2) e DQ8. As proteínas de glúten ingeridas são difíceis de processar para proteases gastrointestinais devido ao alto teor de resíduos de prolina, e os longos fragmentos de péptidos sobrevivem à digestão. De alguma forma, esses longos fragmentos de péptidos conseguem atravessar a camada única de enterócitos que atravessam o lúmen até a lâmina própria. Alguns resíduos de glutamina de uma maneira específica, tornam-se alvo da enzima transglutaminase 2 (TG2) e tornam-se desamidados (isto é, conversão de glutamina para glutamato). Exatamente onde a desamidação ocorre é desconhecida. Os péptidos desamidados serão capturados pelas células apresentadoras de antígeno que expressam as moléculas HLA DQ2 e DQ8. Os péptidos de glúten desamidados se ligam melhor a estas moléculas HLA-DQ do que seus homólogos nativos e, assim, os péptidos desamidados podem ser apresentados às células T CD4 + específicas ao glúten. As células T CD4 + específicas ao glúten secretam muitas citocinas, incluindo interferão (IFN) -γ e interleucina (IL) -21. Essas células T CD4 + servem como controladores da orquestra imunológica, direcionando as reações imunes que eventualmente levam à formação da lesão celíaca. A morte de enterócitos provavelmente é mediada por células T CD8 + intraepiteliais.

 

Esta imagem e texto foram tirados desta publicação: The roles of MHC class II genes and post-translational modification in celiac disease.

 

 

Advertisements